Abrir ads

Home


CASO Consultores Associados


Centro de Aprendizagem e Soluções Organizacionais
04/11

Na década de 80 pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology – MIT, vinculados ao International Motor Vehicle Program IMVA, realizaram um criterioso e profundo trabalho de pesquisa nas organizações do setor automobilístico localizadas nos EUA, Europa, Japão e Coreia do Sul. Essa pesquisa foi publicada em 1990 por J. Womack, D. Jones e D. Roos através do livro “The Machine That Changed the World”.

 A citada pesquisa identificou principalmente nas indústrias automobilísticas asiáticas, boas práticas na gestão dos negócios, nas relações com parceiros e na eficácia dos sistemas de gestão e manufatura. Várias dessas práticas foram identificadas como as responsáveis pelo êxito de algumas empresas analisadas, principalmente as japonesas. A Toyota foi a que se apresentou com técnicas e modelos de gestão e de produção mais eficazes.

A contextualização e sistematização dessas práticas, com foco integrado na produção e no consumo, tendo o produto como elo, foi denominado de Pensamento Lean. O termo lean (enxuto) foi utilizado inicialmente por J. Krafcik, pesquisador do IMVP.

 Um roteiro inicial para o entendimento do Pensamento Lean foi proposto por J. Womack e D. Jones no livro “Lean Thinking”. Os autores expandiram a utilização do Pensamento Lean a outros setores e o sistematizaram em cinco princípios: valor, cadeia de valor, fluxo da cadeia de valor, produção puxada, e busca da perfeição.  

No livro Sistema de Produção Lean Manufacturing, desse autor, e cuja segunda edição foi publicada recentemente, o Pensamento Lean é delimitado, com o suporte da filosofia Just-in-Time, independente do setor organizacional, pelos ciclos de produção e de consumo e associado a oito técnicas ou programas para ações de melhoria e de redução de custos, associadas a quatro focos. Os focos e respectivas técnicas ou programas, utilizados pelo autor, seguem abaixo:

 


 O Pensamento Lean tem como objetivo principal “enxugar” todas as etapas do processo, ao eliminar desperdícios, o que não agrega valor ao produto (bem ou serviço), nas mais diversas atividades organizacionais. Sua utilização vem sendo frequente e plena nos setores industrial, hospitalar, educacional, entre outros. Procure conhecer, aprender e aplicar o Pensamento Lean. Os resultados serão imediatos e gratificantes. Seus acionistas e seus clientes vão agradecer.

Fonte: Rodrigues, M.V. Sistema de Produção Lean Manufacturing. Ed Elsevier, 2ª edição, 2015

Avaliações

Comentários

Atualmente não há comentários, seja o primeiro a postar um!

Postar Comentário

Nome (obrigatório)

Email (obrigatório)

Website

imagem CAPTCHA
Informe o código exibido acima: